DESTAQUES E MATÉRIAS

Confira nossas matérias e participações

bromelias.jpg

BROMÉLIAS EM DESTAQUE

Confira nossa participação no portal Ig sobre Bromélias e seu uso no jardim. 

Conheça mais sobre essa planta típica das Américas

Alessandro Guimarães, especial para o iG


Os tamanhos são variados e as cores também, mas uma característica é comum para todas as bromélias: sua beleza ornamental sem comparação. Era uma das preferidas de Burle Marx – não por acaso, uma espécie foi batizada em sua homenagem, a Neoregelia burle-marxii. A planta é exclusividade das Américas, a única exceção ocorre na África. Dos mais de 3 mil tipos catalogados, metade é brasileira, por isso é considerada um dos ícones da identidade tropical

ua lista de qualidades é extensa. “Elas conferem contraste e um colorido único. Além disso, mesmo recém-plantadas, criam a sensação de jardim já estabelecido e não dependem das flores para estarem bonitas”, diz a paisagista Paula Bergamin.


Outra boa notícia é o preço. Apesar de terem alcançado o estrelato, as bromélias, em geral, são bem acessíveis. “É possível encontrar exemplares a partir de R$ 8. Porém, os valores variam de acordo com o tamanho e a disponibilidade, e podem ultrapassar R$ 250”, afirma a paisagista Letícia Lenz.

Fonte: Delas - iG @ https://delas.ig.com.br/casa/jardinagem/bromelias-em-destaque/n1238083558594.html

sapatilha-de-judia1.jpg

PERGOLADOS SEMPRE FLORIDOS

Para garantir um bom desenvolvimento das espécies eleitas para formar o pergolado plante-as diretamente no solo. “Em vasos , o crescimento fica limitado”, diz a paisagista Ana Maria Cintra. A cobertura total de uma pérgula depende do crescimento das espécies escolhidas. As que se desenvolvem rapidamente podem cobrir a estrutura em um ano. Já aquelas que demoram um pouquinho mais, de acordo com o tamanho da estrutura, levam de dois a três anos.

Nesse período, é imprescindível redobrar a atenção e adotar alguns cuidados (que devem ser feitos com frequência). Um deles é a poda – é importante realizá-la no momento correto. Existem três tipos: de formação, quando a planta ainda é jovem, de limpeza, que elimina apenas ramos e folhas secas, e de floração, feita para controlar o volume.

A rega pode variar de acordo com a região e época do ano, mas o ideal é que o substrato permaneça úmido. “Molhe apenas a raiz da planta, de preferência pela manhã ou ao entardecer”, recomenda a paisagista Letícia Lenz. 

O modo de fixação na estrutura e a condução (o sentido que ela crescerá) variam de acordo com cada planta. “ Sapatinho-de-judia (Thunbergia mysorienses) pode alcançar o topo com a ajuda de um fio de náilon (ela irá acompanhá-lo).

Já a madressilva (Lonicera japonica) sobe naturalmente, sem nenhum truque. Arbustos escandentes necessitam de amarrilhos para se fixarem nas estruturas, como o jasmim-estrela (Jasminum nitidum)”, explica Letícia.

Fonte: Delas - iG @ https://delas.ig.com.br/casa/jardinagem/pergolados-sempre-floridos/n1237944075426.html

Sem título.png

PLANTAS PENDENTES PARA TODOS OS CANTOS

Saiba como aproveitar o espaço aéreo de casa 

Amor-perfeito-de-verão (Torenia fournieri) 
Aspargo (Asparagus densiflorus) 
Avenca (Adiantum raddianum) 
Barba-de-serpente (Liriope muscari) 
Begônia-preta (Begonia boverae) 
Brinco-de-princesa (Fuchsia hybrida) 
Columeia (Columnea gloriosa) 
Confete (Diascia vigilis) 
Dinheiro-em-penca (Callisia repens) 
Dinheiro-em-penca (Pilea nummulariifolia) 
Falsa-violeta-africana (Streptocarus saxorum) 
Flor-batom (Aeschynanthus lobianus) 
Flor-de-maio (Schlumbergera truncata) 
Gerânio-pendente (Pelargonium peltatum) 
Hera (Hedera helix) 
Jasmim-amarelo (Jasminum mesnyi) 
Lágrima-de-bebê (Soleirolia soleirolii) 
Lambari-roxo (Tradescantia zebrina) 
Lantana-cambará (Lantana camara) 
Peixinho (Nemathantus ssp.) 
Peperômia (Pepromia serpens) 
Petúnia (Petunia axillaris) 
Planta-vela (Plectranthus coleoides) 
Plumbago (Plumbago auriculata) 
Quaresmeira-rasteira (Schizocentron elegans) 
Ripsális (Rhipsalis baccifera) 
Rosário (Senecio rowleyanus) 
Russélia (Russelia equisetiformis) 
Samambaia-de-metro (Nephrolepis cordifolia) 
Suzana-de-olhos-negros (Thunbergia alata) 
Véu-de-noiva (Gibasis pellucida) 
Violeta-pendente (Achimenes grandiflora)

Fonte: Delas - iG @ https://delas.ig.com.br/casa/jardinagem/plantas-pendentes-para-todos-os-cantos/n1597163030786.html

 
4epje4s63a4vumz0xdewe060b.jpg

REFÚGIO COBERTO POR FLORES

Descubra quais são as espécies indicadas para pergolados e deixe a área de lazer mais charmosa

Alessandro Guimarães, especial para o iG São Paulo

Um refúgio entre o verde. Assim são os pergolados, também conhecidos como pérgulas, que podem ser usados como área de descanso ou espaço de eventos para a realização de refeições ao ar livre, coberto por verde.

s espécies mais indicadas


As trepadeiras são sempre bem-vindas, pois além de belas garantem privacidade a quem está no local. “É possível escolher espécies que fecham o ambiente por inteiro”, afirma Ana Maria. A tumbérgia-azul (Thunbergia grandiflora) é uma das mais usadas por florescer o ano todo e crescer em ritmo acelerado.

“O jasmim-dos-poetas (Jaminum polyanthum), no entanto, é uma boa opção para jardins românticos”, sugere. Porém, a campeã de pedidos é a famosa primavera (Bougainvillea glabra), que é eclética e pode ser usada desde os projetos clássicos até os tropicais. “Ela é cultivada em praticamente todas as regiões brasileiras e dá vida ao pergolado”, diz.

As frutíferas também são indicadas. Entre as escolhas, destaque para os pés de maracujá, uva e kiwi. “Além da função ornamental, proporcionam frutos e um colorido a mais. Porém, para que fiquem saudáveis é essencial conduzir seus ramos e realizar as podas em épocas adequadas”, diz Letícia.

Evite essas plantas

Chegou o momento de riscar algumas opções da lista. A unha-de-gato (Uncaria tomentosa), por exemplo, é uma delas. “A espécie não proporciona o fechamento necessário e é agressiva às estruturas”, afirma Letícia.

A alamanda-roxa (Allamanda blanchetti) e a alamanda-amarela (Allamanda cathartica) não devem ser usadas por serem tóxicas. “A ingestão pode causar problemas digestivos e cardíacos”, alerta a paisagista. 

Se a pérgula estiver perto de piscinas e calhas, a dica é não apostar em espécies que perdem as folhas com facilidade. “A lágrima-de-Cristo (Clerodendron thomsonae) é um bom exemplo, pois resulta em problemas de entupimentos e sujeira em excesso”, recomenda.

Há uma lista extensa de materiais que podem servir de base a plantas que darão vida aos pilares e cobertura. “Madeira, bambu, ferro, tijolo e eucalipto tratado estão entre as opções. Mas o importante é que a estrutura do pergolado combine com o restante da construção”, afirma a paisagista Ana Maria Cintra.

O colorido fica por conta das espécies, que devem ser escolhidas de acordo com alguns critérios básicos. “É importante verificar o clima e a atividade que ela irá desempenhar: cobrir um arco para ornamentação, compor um corredor ou apenas fazer parte de um recanto para relaxar”, diz a paisagista Letícia Lenz.

Para locais de passagem, a profissional não recomenda o uso de plantas com espinhos e ramos pendentes. “Elas podem atrapalhar a circulação”, explica. 

Fonte: Delas - iG @ https://delas.ig.com.br/casa/jardinagem/refugio-coberto-por-flores/n1237943974614.html

Jardim de Inverno

JARDIM DE INVERNO

https://issuu.com/destaqueimobiliario/docs/revista_junho_mario____

O jardim de inverno surgiu na Arquitetura a muito tempo. Em meados do Século 16 eram usados nos castelos da nobreza europeia para cultivar plantas durante o período gélido já que muitas espécies não sobreviviam ao rigoroso inverno. Assim reis e rainhas tomavam seus chás da tarde em grandes salas com paredes de vidro entre muitas plantas que ficavam no sol mas protegida dos ventos.